Todas as alergias são desencadeadas por substâncias chamadas alérgenos. A cada ano, nas regiões de clima temperado, milhões de pessoas sofrem de alergia sazonal (que depende de uma época do ano) como congestão, coceira e hipersecreção nasais, assim como prurido (coceira) nos olhos, com lacrimejamento. No entanto, muitos outros sofrem de alergias permanentes, que resultam em sintomas durante todo o ano. As alergias permanentes são desencadeadas por alérgenos encontrados dentro de casa, incluindo os ácaros da poeira (e suas fezes), a caspa de animais, baratas e mofo.

Controlando os ácaros da poeira
A poeira doméstica é composta de pequenas partículas de materiais vegetais e animais. Nessa mistura vivem animais microscópicos chamados ácaros da poeira. As fezes desses animais é a causa mais comum da alergia permanente e seus sintomas.

Os ácaros da poeira são encontrados por toda a casa, mas vivem especialmente nas áreas mais úmidas e nas áreas onde existe caspa humana (pequenos flocos de pele descamada). Os sintomas da alergia a ácaros incluem congestão nasal, coriza, espirros (principalmente na manhã), coceira nos olhos, lacrimejamento, tosse e chiados no peito.

Para reduzir o número de ácaros, é importante manter a umidade relativa do ar em toda a casa abaixo de 50%, usando um desumidificador ou mesmo o ar condicionado. O carpete deve ser retirado, especialmente aquele que é colocado sobre chão de concreto. Os pisos preferidos são os de madeira-de-lei, cerâmica ou fórmica. Tapetes laváveis também podem ser usados, caso sejam regularmente lavados em água quente ou a seco.

Como as pessoas passam mais tempo no quarto de dormir que em outros aposentos, é essencial reduzir os níveis de ácaros neste local. Encape colchões e travesseiros em plásticos fechados por zíper ou com material especial à prova de alérgenos, encontrado em lojas especializadas. As roupas de cama devem ser lavadas semanalmente em água quente (55° C) e deixadas secar num secador de ar quente. Almofadas e travesseiros feitos de material natural como penas, plumas ou algodão devem ser substituídos por outros feitos de material sintético, ou então, envolvidos por material anti-alérgico.


ácaro domiciliar

O ideal é que as paredes dos cômodos sejam lisas e que os objetos que possam reter poeira fiquem em gavetas ou armários fechados. Evite usar o quarto onde dorme como biblioteca ou local de estudo. A aspiração semanal do pó pode ajudar a retirar um pouco dos ácaros. Os alérgicos devem usar um aspirador com um filtro HEPA (de alta eficiência para partículas) ou com bolsa dupla de retenção de poeira, pois o uso do aspirador comum espalha poeira no ambiente. Devem também usar uma máscara contra poeira quando a limpeza estiver sendo feita.

Controlando a caspa dos animais
Ao contrário do que se pensa, as pessoas não são alérgicas ao pelo dos animais, mas sim a proteínas encontradas na saliva, na caspa (flocos de pele morta descamada) ou urina. Essas proteínas são carregadas pelo ar como partículas muito pequenas, invisíveis, que pousam no revestimento dos olhos ou nariz, ou mesmo são inaladas diretamente para dentro dos pulmões. Os sintomas de alergia a um animal incluem espirros, nariz com coceira e hipersecreção, e olhos e garganta inchados e coçando. Uma coceira da pele ou uma urticária (placa vermelha e alta) podem também resultar do contato com um animal ao qual você é alérgico. Geralmente os sintomas começam rapidamente, às vezes minutos após a exposição ao animal. Para outras pessoas, no entanto, os sintomas vão crescendo e se tornando mais intensos 8 a 12 horas após o contato com o animal.

Um gato ou um cachorro produz uma certa quantidade de alérgeno por semana e essa quantidade pode variar de animal a animal. Todas as raças são capazes de desencadear os sintomas — não há raças "hipoalergênicas" de cães ou gatos. Os que são muito alérgicos podem mesmo apresentar reações em lugares públicos pela caspa transportada pela roupa de um dono de animal.

A maneira mais eficaz de combater os sintomas da alergia a animal é removê-lo de casa, evitando qualquer contato. Manter o animal fora de casa, por exemplo num jardim, é apenas uma solução parcial, pois as casas com animais no jardim ainda possuem concentrações razoavelmente altas dos alérgenos. Antes de passar a ter um animal em casa, passe um tempo junto ao cachorro ou gato de alguém para saber se você é alérgico. Se você já tem um animal ao qual você ou alguém da família é alérgico, tente deixá-lo com um parente ou amigo não alérgico que cuide dele. Apesar dessa separação poder ser difícil, é o melhor para a sua saúde ou de seu familiar alérgico. Você pode ainda considerar bichinhos como tartarugas, peixes, e outros animais sem pelos ou penas.

Se você não pode evitar a exposição ao animal que causa seus sintomas alérgicos, tente minimizar o contato. Mais importante, mantenha o animal fora do quarto de dormir ou de outros aposentos onde os alérgicos passam a maior parte do tempo. Alguns estudos demonstraram que o banho (semanal) de cães e gatos pode reduzir a quantidade de alérgenos em casa. Este ponto, no entanto, permanece controverso. Se você pretende lavar o seu animal regularmente, consulte o veterinário quanto aos cuidados para que não haja ressecamento excessivo da pele do animal. Além disso, peça a um membro não alérgico da família que escove o animal fora de casa, para remover os pelos e alérgenos soltos. A caspa e a saliva são as fontes de alérgenos em cães e gatos, mas a urina é a fonte de alérgenos de coelhos, hamsters e porquinhos-da-índia; peça a um membro não alérgico da família para limpar a gaiola do animal.

Os alérgenos dos animais podem se acumular em qualquer superfície horizontal e, mesmo, vertical da casa. Os colchões e almofadas devem ser encapados com plástico (capas com zíper) para prevenir a liberação de alergenos. A aspiração do pó não é eficaz em diminuir os alérgenos dos animais, pois não limpa os níveis mais profundos dos carpetes e tapetes. Na verdade, ela pode dispersar no ar pequenas partículas de alérgenos, que acabam não sendo aspiradas. O uso de um aspirador com filtro HEPA ou bolsas duplas pode ajudar. Do mesmo modo que com os ácaros, a melhor solução para o chão é madeira-de-lei, cerâmica ou fórmica.

Substitua as roupas de cama que possuam caspa animal nelas. Pode levar semanas ou meses até que os tecidos fiquem realmente limpos dos alérgenos, e os alérgenos de animais podem persistir por um ano ou mais, após a retirada do animal de casa.

Controlando as baratas
As baratas existem por mais de 300 milhões de anos. A maioria delas vive em climas quentes e tropicais, mas várias espécies convivem com os homens em suas casas e escritórios.

As baratas não são apenas um visitante malquisto em casa — uma proteína presente em suas fezes é um fator importante no desencadeamento de crises de asma, especialmente para crianças que vivem nos bairros mais pobres e densamente povoados das cidades. Para reduzir os sintomas da asma é importante eliminar as baratas.

Bloqueie os locais por onde as baratas poderiam entrar em casa, incluindo rachaduras, fendas nas paredes, janelas, brechas no chão e móveis de madeira, ralos, etc. As baratas precisam de água para sobreviver e só vivem em ambientes sob alta umidade. Conserte e vede todas as torneiras e canos que estejam vazando. Você também deverá solicitar uma dedetização feita por um profissional, a ser feita quando não houver ninguém da família (nem animais) em casa, para eliminar as baratas que restarem.

As baratas se sentem menos à vontade numa casa limpa e seca. Para evitar que elas retornem, mantenha os alimentos em recipientes bem vedados, e lave (ou leve para fora de casa) os pratos onde os animais de estimação acabaram de comer. Aspire e varra o chão após as refeições, e retire freqüentemente de casa o lixo acumulado. Use na cozinha cestinhas de lixo cobertas. Lave imediatamente os pratos após seu uso com detergente e água quente; não se esqueça de limpar as áreas debaixo de fogões, geladeiras, forninhos ou tostadeiras, onde se acumulam farelos e migalhas. Limpe regularmente a superfície do fogão e de armários, assim como outras superfícies na cozinha.

Controlando o mofo de dentro de casa
Mofos e bolores existem em áreas da casa que tenham alta umidade, como janelas de banheiros ou locais onde existam vazamentos. Esses fungos disseminam pequenos esporos que podem desencadear crises alérgicas.

Felizmente esses fungos são facilmente eliminados uma vez descobertos. Use uma solução contendo 5% de hipoclorito (água sanitária) e uma pequena quantidade de detergente. Se o mofo for visível no carpete ou papel de parede, remova esses itens de sua casa. Conserte prontamente qualquer vazamento que exista. Nunca coloque carpete em chãos de concreto ou úmidos, e evite guardar roupas, papéis e outros ítens em locais úmidos.

O uso de desumidificadores geralmente consegue controlar a umidade por toda a casa. Esvazie a água dos desumidificadores e limpe a aparelhagem regularmente para impedir que apareçam bolores. Todos os aposentos, especialmente banheiros e cozinhas, precisam de boa ventilação e limpeza constante para impedir o crescimento de fungos.

Dicas adicionais
Manter as janelas abertas, ainda que tentador, nem sempre é boa solução - pode trazer para dentro de casa alérgenos externos como esporos de mofo e polens. Nesses casos, use ar condicionado para limpar, recircular e desumidificar o ar de casa.

Nos casos mais extremos, você pode considerar o uso de filtros de ar, muitos dos quais podem ser usados junto sistemas de ar condicionado. Eles incluem os sistemas de filtragem HEPA; filtros mecânicos com uso de filtros descartáveis de fibra de vidro (a serem trocados mensalmente); filtros eletrostáticos que utilizam as propriedades eletrostáticas do polipropileno e do poliéster para limpar o ar. As placas dos filtros devem ser limpas frequentemente para não produzirem ozônio, que é irritante. Saiba, no entanto, que em nenhum deles foi demonstrado cientificamente que retiram os alérgenos ou diminuem os sintomas de asma ou alergias. Do mesmo modo, não foi demonstrado cientificamente que a limpeza dos ductos de ar condicionado, que é cara, seja eficaz na redução das crises alérgicas. É mais eficaz implementar as medidas de controle do ambiente para reduzir os alergenos.

Os alérgicos e asmáticos deveriam também evitar irritantes como fumaça de cigarro e outras fumaças, aerossóis, tintas, perfumes, produtos de limpeza ou outros cheiros fortes.

Tratamento da alergia
As medidas de controle do ambiente doméstico devem focar os locais onde se acumulam os alérgenos. Através da história clínica e dos testes alérgicos, se necessários, o alergista pode ajudá-lo a determinar que alérgenos provocam seus sintomas. As medidas de controle diferem para os ácaros, animais, baratas e fungos. Para o alívio de seus sintomas, o alergista poderá também receitar medicações adequadas, como anti-histamínicos, descongestionantes e anti-asmáticos.

Mudar seu ambiente doméstico pode levar algum tempo. Para começar, faça uma lista de prioridades. Essas mudanças produzirão um ambiente em casa que será menos alergênico, mais fácil de ser limpo, e mais saudável para toda a família.

Fonte: adaptado de Alergohouse, com texto original elaborado pela
American Academy of Allergy, Asthma and Immunology (AAAAI)